Skip navigation

Tag Archives: Governança

16 Mai 2011| FONTE – Computerworld

Isso não está mais sob discussão. TI e negócios estão juntas no jogo do mercado.

“Estou cansado dessa história de alinhamento [de TI e negócios]”, declarou um dos CIOs participantes do CIO Persectives, evento realizado em Nova York há algumas semanas. “Isso não está mais sob discussão. TI e negócios estão juntas no jogo do mercado. Ponto final.”

Para minha surpresa, a opinião desse CIO era compartilhada por muitos outros líders de TI presentes ao evento, alguns deles das principais empresas dos EUA. Depois de muito tempo, os CIOs evoluíram em suas discussões.

O que a declaração representa? Que os CIOs têm de trabalhar com relacionamentos, com aceleração e otimização em vez de alinhamento. Esses verbos são todos sinais que a tão almejada parceria TI/Negócios é fato. “Alinhar” significa ordenar o que está desordenado e buscar entender de estratégias de negócios que ainda não são entendidas. E tentar chegar à sala de tomada de decisões, algo que muitos já conseguiram.

A declarção do CIO da empresa química Air Products and Chemicals, Richard Boocock, representa todo o espírito que o líder deve assumir hoje: “Vivemos ou morremos na criação de valores para os clientes e para os acionistas. Essa é a única forma de criar valor para os negócios”.

Diante disso, só uma conclusão é possível: a única maneira de medir o real valor para a TI é avaliar o retorno que ela proporciona para os negócios. Logo, acompanhar essas métricas de perto, de forma bem estruturada, também é questão de sobrevivência.

De acordo com o vice-presidente do grupo de pesquisas da Gartner para CIOs, Dave Aron, a linguagem do alinhamento também pode ser contraproducente, porque denota que a TI é algo a parte do restante da empresa.

Mesmo assim, as pessoas continuarão a questionar o valor da TI, que sempre está entre os primeiros na lista de maiores gastadores no orçamento de uma empresa.

Calcular o valor que a tecnologia entrega é, por essa razão, uma arte em desenvolvimento. E, nesse sentido, quase todos os CIOs concordam.
O melhor conselho para quem está no mercado e busca esse ideal? Começar. Começar de algum ponto, e o mais breve possível.

Segundo o CIO da Chevron, Louie Ehrlich, o profissional nunca vai encontrar uma forma perfeita de medir valores. “Eles mudam constantemente e esse é um trabalho sem fim”, conclui.

Esta é a opinião de CIOs nos Estados Unidos. Nós, aqui no Brasil, nos encontramos correndo atras do negócio, lutando por uma cadeira no Board. Eu conheço poucas empresas em que o CIO fala Governança de TI com o negocio e Gestão de TI com sua área de responsabilidade.

Mas SIM, esta postura existe (a noticia acima existe) e é a vontade de todos.

Abraços

Andre Pitkowski