Skip navigation

O Gráfico de Pareto, também chamado de diagrama de distribuição de Pareto, é um gráfico de barras (1) verticais onde os valores são plotados em ordem decrescente com frequencia relativa da esquerda para a direita. Os Gráficos de Pareto são extremamente úteis para analisar os problemas que precisam de atenção prioritária porque os pontos mais altos no gráfico, que representam a frequencia da ocorrência do evento, ilustram claramente quais variáveis têm maior efeito cumulativo em um determinado sistema.

O gráfico de Pareto recebe este nome em homenagem ao economista italiano Vilfredo Pareto. Em 1906, Pareto observou que 20% da população na Itália detinha 80% de todas as propriedades imobiliárias. Ele propôs que essa relação poderia ser encontrada em muitos lugares do mundo físico e teorizou que poderia ser uma lei natural, onde 80% dos resultados são determinados por 20% das causas.

Na década de 1940, a teoria de Pareto foi aperfeiçoada pelo Dr. Joseph Juran, um engenheiro elétrico americano o qual é amplamente creditado como sendo o pai do Controle de Qualidade. Foi o Dr. Juran, que decidiu chamar a relação de 80/20 o “Princípio de Pareto”. A aplicação do Princípio de Pareto para métricas de negócio ajuda a separar os “poucos vitais” (os 20% que tem o maior impacto) da “muitos úteis” (os outros 80%). O gráfico abaixo ilustra o Princípio de Pareto por frequencia de mapeamento, com a suposição de que o algo que acontece com mais frequencia, é o que tem mais impacto sobre o resultado.

O gráfico de Pareto é uma das sete ferramentas básicas de Controle de Qualidade. As variáveis independentes (2) no gráfico são exibidas no eixo horizontal, e as variáveis dependentes )2) são retratadas como as alturas das barras. Um gráfico ponto-a-ponto, que representa a frequencia acumulada relativa, pode ser sobreposta no gráfico de barras. Como os valores das variáveis estatísticas são colocados em ordem de frequencia relativa, o gráfico revela claramente quais são os fatores que têm o maior impacto, e onde se deve prestar atenção para produzir o maior benefício.

Um Exemplo

O Gráfico de Pareto pode ser usado para identificar rapidamente quais as principais questões de negócios que precisam de atenção. Usando dados concretos em vez da intuição, não existem dúvidas sobre quais são os problemas que estão influenciando o resultado. No exemplo abaixo, a loja ACME de comercialização de vestuário estava sofrendo com um declínio constante nas vendas. Antes do gerente realizar uma pesquisa de satisfação com os clientes, ele assumiu que o declínio nas vendas foi devido à insatisfação dos clientes com a linha de roupas que ele estava vendendo, e culpou sua cadeia de abastecimento por seus problemas. Mas então, depois de realizar uma pesquisa de satisfação e mapear a frequencia das respostas, ficou claro que as verdadeiras razões para o declínio do seu negócio não tinha nada a ver com a sua cadeia de abastecimento. Através da tabulação dos dados da pesquisa e a representação num Gráfico de Pareto, o gerente pode conferir quais variáveis estavam tendo maior influência. Neste exemplo, dificuldades de estacionamento, vendedores mal preparados e problemas de iluminação estavam prejudicando o negócio. Seguindo o Princípio de Pareto, essas são as áreas onde devem se concentrar a atenção para as vendas voltarem a crescer.

pareto chart

 

(1) Um gráfico de barras é a interpretação pictórica de dados estatísticos, em que a variável independente pode atingir somente determinados valores discretos. A variável dependente pode ser discreta ou contínua. A forma mais comum de um gráfico de barras é o gráfico de barras vertical, também chamado de gráfico de colunas.
Em um gráfico de barras verticais, os valores da variável independente são plotados ao longo de um eixo horizontal da esquerda para a direita. Os valores da função são exibidos como barras verticais sombreadas ou coloridas de igual espessura, estendendo-se para cima em várias alturas a partir do eixo horizontal. Em um gráfico de barras horizontais, a variável independente é traçada ao longo de um eixo vertical de baixo para cima. Os valores da função são exibidos como barras horizontais sombreadas ou coloridas de igual espessura estendendo-se para a direita, com sua esquerda terminando alinhada verticalmente.

bargraph.gif

A figura acima é exemplo de um gráfico de barras verticais representando os resultados de um teste aplicado a uma classe hipotética de alunos. Cada letra (A até F) é representada por uma barra sombreada vertical de uma determinada altura. O total das porcentagens é igual a 100. (Se o total não for 100%, a precisão do gráfico ou os dados de apoio seriam questionáveis!) A percentagem de estudantes que recebem uma nota específica é diretamente proporcional à altura da barra que representa essa categoria. A espessura da barra é determinada apenas para maior clareza de ilustração.
Em um tipo específico de gráfico de barras verticais denominado Gráfico dePareto, os valores das variáveis dependentes são plotados em ordem decrescente de frequencia relativa da esquerda para a direita. Um outro tipo de gráfico de barras denominado de histograma usa retângulos para apresentar a frequencia de itens de dados em sucessivos intervalos numéricos de igual tamanho. Outros tipos de gráficos de barras permitem traçar vários intervalos a partir das variáveis dependentes, múltiplas variáveis independentes, variáveis positivo/negativo e variáveis multi-categoria.
(2) variáveis independentes e dependentes

Uma variável independente é uma variável que é manipulada para determinar o valor de uma variável dependente. A variável dependente é o que está sendo medido em um experimento, ou avaliada em uma equação matemática, e as variáveis independentes são as entradas para a medição.

Em uma simples equação matemática, por exemplo: A=B/C

as variáveis independentes são B e C; determine o valor de A.

Aqui um outro exemplo:
Um professor deseja comparar o número de alunos atrasados vestindo preto com o número de alunos atrasados vestindo azul. Neste cenário, a cor do vestuário é a variável independente, e a diferença entre o número de alunos, classificados pela cor da roupa, é a variável dependente.

Mais um exemplo:
Um fiscal de trânsito precisa comparar o número de motoristas que avançam o semáforo vermelho das 08:00 até às 09:00 com o número de motoristas que o fazem das 09:00 até às10:00. Neste cenário, o intervalo de tempo é a variável independente, e a diferença entre o número de condutores avançando semáforos vermelhos durante esses períodos de tempo é a variável dependente.

 

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: