O Pendrive nosso de cada dia dai-nos hoje…

"Isso é seguro?" Esta parece ter sido a primeira pergunta que saiu da boca de todo mundo hoje na hora do almoço, quando um colega nosso resolveu trocar o tradicional cartão de visitas por um pen drive, e saiu distribuindo o mimo para todos nós sentados na mesa. Tinha um monte destes brinquedinhos de 2 Gigas de capacidade na mala dele.

A memória destes "mimos" pode não conter material malicioso – só informações profissionais sobre o colega e quiçá alguma propaganda do produto ou serviço que ele representa – mas na hora quase todos tinham uma história para contar sobre como tinham sido infectados por inserirem um pen drive em seus sistemas num momento de confiança em relação à idoneidade do portador.

O gerente de TI de uma empresa farmacêutica de médio porte  aqui do interior de São Paulo me disse que tinha tido um pesadelo semana passada por conta de um pen drive. O departamento comercial estava esperando o dito cujo a partir de um dos vendedores, que o remeteu do interior pelo correio, entrega expressa. Assim que chegou, ninguém do comercial pensou duas vezes antes de usá-lo. "A gente deveria confiar nestas pessoas", me disseram.

Para encurtar, a estação foi imediatamente infectada. A infecção (imagina que o gerente comercial ainda se recusou a compartilhar o objeto conosco, alegando segredo de negócio), logo se espalhou por parte da rede da  empresa e me custou mais de quatro horas de limpeza noite a dentro.

"Eu nunca confio nessas coisas", desabafei com o colega", especialmente naqueles que você encontra nas mãos de conferencistas durante o congresso. Cada um espeta o seu no equipamento oferecido pelo congresso e, quando chega sua vez, você deixa a apresentação e ganha um bichinho de estimação. De fato, você realmente não tem a mínima idéia de onde veio aquele pen drive ou o que está contido nele além do material realmente  produtivo."

Outro colega ao meu lado me disse ter participado recentemente de um treinamento de segurança interna em sua empresa, e o instrutor havia recomendado para simplesmente não usar mais pen drive, ponto. Parece o mesmo que dizer para nunca mais praticar sexo : -(

Embora a preocupação não seja nova (e os riscos na utilização de dispositivos de armazenamento USB tem sido destaque já há algum tempo), eu tenho que admitir que fiquei surpreso com o número de colegas que tinham algo a dizer especificamente sobre este assunto naquele momento. Das 10 ou mais pessoas que estavam sentadas comigo neste almoço, eu diria que pelo menos 8 delas questionaram a segurança do pen drive.

Surpreendentemente, entretanto, foi o número de pessoas que tinham uma história de horror (ou soube de alguém que sofreu) e ainda assim faz uso cotidianamente de um pen drive pelos mais diversos motivos. Na verdade, eu só vi uma pessoa na mesa ter confessado que recusou inserir um pen drive em seu equipamento, mesmo depois que o portador tenha se identificado como sendo sua própria esposa, e ambos ainda encontravam-se a sós, no recôndito, do lar.

Para ajudar a proteger MEU notebook, eu faço uso de um pequeno utilitário freeware. Procurem no google por "ninja-pendrive" acho que está na versão 1.8. Já me salvou algumas vezes.

Abraço

Anúncios