Alinhando TI ao Negócio

Os líderes da área de tecnologia migraram sua atenção para as práticas que tragam mais agilidade à companhia e, por consequência, têm assumido o comando sobre o desenvolvimento e a gestão de processos

CIO – Alexander Peters*
Publicada em 07 de julho de 2009 às 08h00

A expressão “alinhamento entre TI e negócios” parece ter perdido o encanto. Enquanto esse tema foi apontado como a maior preocupação dos líderes da área de tecnologia na pesquisa realizada em 2008 pela SIM (Sociedade de Gerenciamento de Informação, em português) – organização global que tem como objetivo promover a troca de conhecimento entre gestores de tecnologia –, hoje ele já deixou de ser abordado pelos CIOs nos eventos do setor.
Acadêmicos e profissionais que conhecem o assunto na prática usam o termo “alinhamento” para descrever o processo estratégico de ajustar os recursos alocados à área de tecnologia aos objetivos do negócio. E, ano após ano, os líderes de TI posicionaram o tema no topo da lista de seus problemas não resolvidos.
Nesse quesito, o maior desafio dos CIOs está na realização efetiva de ações que promovam a integração da tecnologia com os objetivos da corporação. Mesmo na era do mainframe, quando os ambientes eram relativamente estáveis, quase nenhuma companhia atingiu o estado perfeito de relacionamento entre a TI e o negócio.
As inovações tecnológicas que protagonizaram os anos pós-mainframe complicaram ainda mais o cenário para os gestores. O novo panorama empresarial demandou mudanças que nem todas as organizações conseguiram absorver e criou uma deficiência na relação entre a tecnologia e o negócio.
Apesar desse déficit não acredito mais que o tão sonhado alinhamento deva protagonizar a lista de preocupações dos CIOs. Com base nos dados coletados em pesquisas, entrevistas, apresentações e reuniões, acredito que os líderes de TI migraram seus focos de atuação na direção da busca por práticas que tragam mais agilidade ao negócio.
As turbulências econômicas aceleraram essa tendência, na medida em que os gestores não podem mais arcar com o comportamento de desenvolver, paralelamente, estratégias de TI e negócios e, depois, tentar alinha-las.
Um estudo recente da Forrester Research ilustra essa mudança de atitude dos CIOs e elenca que a principal missão desse profissional, hoje, é comandar e desenvolver os processos de negócio – e não as ferramentas de tecnologia. E essa postura difere do tradicional modelo de gerenciar recursos e “administrar a TI como um negócio” e é mais um indício dessa nova liderança, voltada à agilidade.

Alexander Peters é diretor de análise da Forrester Research

Anúncios