A eterna luta entre o bem e o mal.

No caso da internet, o mal está ganhando de lavada desde que ela nasceu nos idos dos anos 90.

O gene deste ser vivo denominado segurança da informação deve ter um defeito de nascença de tal forma que apesar dos esforços da Microsoft e de todos os fabricantes de produtos e serviços de segurança, o mal se espalha na rede com uma rapidez inédita. Tem alguma coisa errada nesta equação. 

Os cientistas da computação e os pesquisadores de segurança já admitem que estão sendo derrotados pelos ataques.

Eu queria saber se eles fossem médicos combatendo uma pandemia. Assim, desistimos? Deixa solto? Dane-se? Ó, se quiser se livrar, desliga o PC, o BlackBerry e objetos similares de comunicação e pronto: não se infecta nem contamina o próximo. Isso mesmo, fique em casa e não tenha contato com nenhum outro ser de sua espécie.

Tem alguma coisa errada na internet!

credicard Por exemplo, o Citibank, que já apanhou por conta do subprime, publica agora que foi atacado por hackers e que vai trocar os cartões de crédito de todos os seus clientes, inclusive os do Brasil. A matéria conta que os hackers obtiveram dados de clientes, o banco não revela de quantos clientes, mas o numero é próximo de 50 milhões de pessoas como nós. Quer saber? Vou parar de usar.

Tem empresa de antivírus (falsos) na Rússia usando o produto para, de verdade, dominar computadores, pagando até 5 milhões de dólares/ano a seus distribuidores ilícitos. Está mais fácil roubar digital do que pessoalmente, com revolver. Ladrão que assalta a gente hoje está desesperado, no fim da linha, é um analfabeto digital. São Paulo tem um mega projeto de inclusão digital. Pelo menos eles devem parar de nos assaltar nos semáforos de transito.

Desde o dia em que eu nasci, meus pais me ensinaram que precisa trancar a porta quando sair de casa, para não abrir a porta para qualquer um, para ter hora de chegar em casa por conta do perigo de se sair sozinho ou ir a lugares suspeitos. Entre muitas, estas são boas praticas de segurança, que tenho passado para meus filhos. Meu pai deve ter aprendido com meu avô.

Acho que achei o problema da internet. Nós fomos os primeiros. Não temos padrão nem praticas de segurança para seguir nem para ensinar à nossa filha. Estamos todos apanhando! E não adianta remédio (firewall, antivírus, etc.).

Precisamos de cultura. Precisamos ser educados no trato com a internet. Regras do que se pode e do que não se pode fazer. A boa educação começa em casa: na duvida, NÃO CLICA.

Depois vamos trabalhar. Na empresa tem um profissional especializado em segurança da informação, protegendo exatamente as informações da empresa onde você trabalha. As fronteiras digitais da empresa há muito ruíram com a globalização do comercio. Hoje a empresa de vendas pela internet interage diretamente com a rede do banco, com a rede do fornecedor, e com o terminal do usuário final (você) que está comprando em seu site. Hoje a gente acessa a rede da empresa desde a nossa casa, do aeroporto, do hotel do outro lado do mundo, via cabo, wireless, nuvens, até dial-up, tudo isso via a mocinha internet.

Precisamos ajudar esta mocinha chamada internet. Ela está atingindo a adolescência digital, querendo experimentar de tudo, questionando tudo… é alvo perfeito para os que atuam no lado mal. Ainda é inocente num mundo onde os “das trevas” estão reinando. E nós ainda vamos sofrer muito se estes cientistas da computação e pesquisadores de segurança admitirem realmente que foram derrotados.

Por favor, não abandonem sua filha à própria sorte. Não desistam. A chave para ganharmos esta guerra é a cultura, a postura, a ética, de usuário para usuário. Todos juntos contra a dengue!

Alias, por conta das enchentes, surgiram novos focos de dengue. Logo falo sobre as enchentes em nossos datacenters. Alo turma da Berrini, aquele abraço do fim de tarde.

Anúncios

3 comentários

  1. Eu posso entrar aí nessa contagem dos 50 milhões. Há menos de um mês o Citibank me enviou uma carta dizendo que havia indícios do meu Cartão de Crédito ter sido clonado e mandariam outro. E foi o que aconteceu.. assim, sem mais nem menos.

    Curtir

  2. Andre, um excelente ponto de vista sobre o assunto. Concordo 100% com voce. Em algumas partes do texto eu até dei umas risadas. 😉 Vamos salvar a mocinha. hehehe Abração

    Curtir

Os comentários estão fechados.