Caminhos da India

Não assisto novela. Aliás não assisto muita coisa que a TV produz. Mas tenho acompanhado a India no contexto mundial, fazendo parte da Bric, juntamento com Brasil, Russia e China. Somos (sou brasileiro de paixão) um dos quatro paises emergentes que ganharam espaço por conta da crise que afetou os Estados Unidos desde Setembro.

Ao assistir o primeiro capítulo da novela Caminhos da India, numa produção esmerada da Rede Globo…

(se não gosta, porque assistiu?

– Porque tive de gravar para minha filha, que estava trabalhando.

Porque não programou a gravação?

– Porque como não assisto, não sei os horarios.

Porque não iniciou a gravação e foi embora?

– PORQUE GOSTEI DO QUE ASSISTI. Posso continuar? Grato.)

… conheci um país de contrastes (como o Brasil) mesclando a religião, doutrinas, pobreza e tecnologia como temperos que produzem o avanço de um país. (ai, a nova ortografia brasileira vai quebrar minhas pernas…)

Estava assistindo e comparando com o Brasil, até que me ocorreu uma diferença! Aqui não tem o terrorismo. Os mapas de risco que montamos no Brasil não contemplam o terrorismo, da forma como assistimos nos Estados Unidos, Europa e na India, recentemente com o atentado a Mombai. OK, a gente tem a bandidagem, mas acredito que igual no mundo todo.

Aqui o teto da Igreja cai (fatalidade, sinto muito), lá explodem a Igreja e autores clamam pela autoria do atentado. Aqui, o transito e o alcool matam (uma guerra surda, silenciosa, que depende mais de cultura e postura do que armas) mais que a guerra do Hamas contra Israel (aberta, televisionada, escancarada em cada lar).

Os mapas de risco de negocio que desenvolvemos e monitoramos trata da governaça corporativa, isto é, o negocio no mercado e as varias formas e modelos de ataque que o negocio sofre no seu dia-a-dia: governo, dolar, sindicato, legislação burocratica, greve, fogo (nem temos terremotos …), falta de energia… uns riscos com mais probabilidades de ocorrer, outros com menos. Uns riscos causam mais impactos, outros não. Mas nenhum risco contempla terrorismo e todas suas facetas: homem bomba suicida, carro bomba, seres humanos portando metralhadoras, sequestros por grupos extremistas…

Agora fica a pergunta: não sei se devo aprender mais sobre riscos ou se realmente sou apaixonado pelo Brasil. Ah, parabéns pela novela.

Anúncios